A contaminação por covid-19 avança por todo o país, faz vítimas fatais e exige, cada vez mais, o esforço dos profissionais de saúde, que são a linha de frente nesta verdadeira guerra. Cansados, afastados de suas famílias e amigos, mas com o dever permanente de acolher, eles pedem algo muito simples para a população: “fique em casa”, porque só assim, a pandemia pode cessar.

Esta semana, os profissionais do Hospital Bertioga (SP), administrado pelo INTS, voltaram a dar este alerta, por meio de uma foto, com a mensagem: “Nós estamos aqui por vocês. Por favor, fiquem em casa, por nós”.

Verônica Despezzi Pastori, coordenadora de Apoio Técnico do Hospital, ressalta que neste inesperado novo mundo as pessoas têm se adaptado de diversas formas, algumas com maior facilidade, outras nem tanto, e que cada um reage a sua maneira acreditando estar certo. No entanto, ela lembra que há quem não teve tempo de nada, somente de agir e se adaptar, estudar o desconhecido, montar estratégias e se capacitar para acolher da melhor maneira possível os pacientes necessitados e amedrontados. “ São os profissionais da Saúde, de A a Z, que estão aqui aguardando como forma de esperança para as pessoas. Profissionais que fizeram um juramento, principalmente com o cuidado ao próximo e isso inclui seu trabalho e, neste momento, este afastamento de família e amigos”.

Por esse motivo, estes profissionais são considerados duplamente heróis. “Todos estão aqui pelos pacientes, estão aqui arriscando sua vida, a vida da sua família, por pessoas que muitas vezes estão deixando de tomar atitudes simples, que poderiam ser iniciadas utilizando o famoso bom senso”, destaca Verônica, que ainda pede: “Por favor, quem puder olhe esta foto com o coração! A melhor homenagem que todos os envolvidos poderiam receber. Ela pede muito pouco diante do valor de uma vida”, diz referindo-se à mensagem implícita no registro.

Atualmente, Bertioga registra 31 casos suspeitos de covid-19; há 13 casos confirmados; uma pessoa internada na enfermaria e três em UTI. Outros 70 casos foram descartados e há 114 notificações, com  solicitação de exame. Foram registrados dois óbitos.