O Hospital Estadual de Urgências de Goiânia Dr. Valdemiro Cruz (Hugo) preza pela melhoria contínua da qualidade no atendimento. Para isso, a unidade de saúde agora conta, em seu protocolo, com uma visita multidisciplinar beira leito, que consiste numa avaliação com uma equipe integrada para acompanhar o quadro clínico do paciente, a exemplo do desenvolvimento, evolução e redução do tempo de internação.

A conduta aplicada ao paciente, passa, essencialmente, pelo alinhamento de decisões tomadas pela equipe multidisciplinar, com profissionais médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, psicólogos, nutricionistas e do serviço social. De acordo com o ortopedista Sérgio Lima , o atendimento multiprofissional já fazia parte da visita aos pacientes em alguns setores.

“Há alguns anos nós do grupo de mão e microcirurgia realizamos visitas aos pacientes com a comissão de curativos. No início deste ano, discutimos sobre a presença de outros profissionais nas visitas para conhecerem, participarem e se inteirarem da rotina do Hugo. A partir de então, a visita multi passou a acontecer com frequência na unidade”, explica o ortopedista.

O médico avalia que a presença de outros colegas nas visitas é de suma importância para os pacientes. “A presença de outros profissionais reforça a assistência ao paciente e eles se sentem mais seguros e orientados. Nossa proposta é manter a atenção junto ao paciente”, revela.

Para a médica Larissa Chaves, coordenadora do setor de traumatologia do Hugo, a visita multidisciplinar tem como principal objetivo assistir o paciente de forma integral. “A equipe detecta pendências que possam impactar diretamente no tratamento do paciente. Com esses objetivos bem definidos, temos como resultado final um tratamento de qualidade, satisfação do paciente e consequentemente um tempo de internação reduzido”, afirma.

Segundo a coordenadora de enfermagem da traumatologia, Patrícia Rezende, a prática reforça a comunicação efetiva. “Percebemos que após a implantação da visita e com a informação sendo compartilhada conseguimos desempenhar com excelência o cuidado assistencial centrado no paciente”, avalia.