Hugo reforça treinamento do Protocolo de Morte Encefálica

Hugo reforça treinamento do Protocolo de Morte Encefálica

Hospital é referência em captação de órgãos no Estado de Goiás e treinamento é feito constantemente para manter equipe alinhada para o cumprimento de protocolos internacionais estabelecidos nestes casos.

Um treinamento com exigências rigorosas é feito para manter a equipe do Hospital de Urgências de Goiânia Dr. Valdemiro Cruz (Hugo) alinhada. A ideia é reforçar situações que já são de conhecimento dos trabalhadores da saúde, mas devem ser seguidos à risca, em caso de morte encefálica. A unidade é referência em captação de órgãos em todo o Estado.

“Nosso dever, antes de tudo e acima de qualquer coisa, é ter o respeito: pelo nosso paciente com possibilidade de se tronar um doador de órgãos, pela família daquela pessoa, porque passam por um momento de perda”, ressalta a enfermeira especialista em transplantes e presidente da Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (Cihdott), Tânia Lemos.

Por conta da pandemia provocada pelo coronavírus, Tânia Lemos fez questão de dividir as turmas, para evitar aglomerações, mas fazer com que todos os colaboradores possam receber a reciclagem do tema em horários diferentes, durante todos os turnos. A intenção é que todos possam ter acesso ao tema. “Ainda que alguns já tenham recebido esse treinamento, queremos atingir não só os colaboradores novos da unidade, mas aqueles que já estão aqui há tempo. Ninguém pode achar que sabe tudo, correr o risco de esquecer qualquer detalhe, e tomar alguma medida errada durante esse processo”, esclarece.

A doação de órgãos ocorre mediante a autorização da família, mas para que isso aconteça, um processo longo e de muito critério é feito antes. O Protocolo de Morte Encefálica só é aberto depois de serem realizados exames que constatam a falta de atividade cerebral, e que descartem a reversibilidade do quadro. Depois disso, até que o protocolo seja fechado e o diagnóstico de morte cerebral é emitido, uma série de testes e exames são feitos numa rotina que segue rotinas estabelecidas por órgãos e entidades internacionais de Saúde.

PELO SIM
A empatia dos colaboradores é apontada pela presidente da Cihdott como primordial, no caso de uma possibilidade de doação de órgãos. A família do paciente, que está aflita durante o tratamento, precisa ser tratada com toda humanização. A enfermeira especialista garante que não é um trabalho de convencimento pela doação. “Nós não convencemos ninguém. O papel é fornecer informações sobre a possibilidade de doação de órgãos. Se em qualquer momento de todo o processo a família negar, tudo o que foi feito anteriormente é interrompido, sem nenhuma possibilidade de retorno”, explica os critérios.

HCamp Itumbiara comemora 1.000 altas de COVID-19

HCamp Itumbiara comemora 1.000 altas de COVID-19

Hospital chega à milésima alta de paciente recuperado de Covid-19 na mesma semana que mais leitos são disponibilizados. A unidade se tornou referência no sul do Estado para enfrentamento na pandemia.
O Hospital Regional de Itumbiara São Marcos, também chamado HCamp Itumbiara, chegou nessa quinta-feira à marca de 1.000 pacientes curados de Covid-19. A alta foi festejada pelas equipes médica e multidisciplinar como sendo um marco importante no enfrentamento à Covid-19 como um dos principais centros de tratamento da doença.

A paciente Terezinha Nascimento de Melo, 65 anos, moradora de Itumbiara, esteve internada por dez dias na enfermaria, devido complicações respiratórias causadas pela Covid-19, se recuperando bem no período em que esteve internada. Emocionada, durante a sua saída, foi recebida calorosamente por sua filha Valéria e pela equipe que estava de plantão em um corredor formado por esses profissionais. “Eu fui muito bem recebida nesse hospital, as pessoas foram muito boas pra mim e para nós todos e o que eu peço a Deus é que Jesus abençoe a todos também”, festejou a paciente. Desde a entrada em funcionamento dos leitos no HCamp Itumbiara, em julho de 2020, os números mostraram que a unidade se tornou referência no tratamento de COVID-19.

Segundo o diretor-geral da unidade, Ricardo Bricidio, o fato é preciso ser comemorado com um marco importante para todos os profissionais. “Este é fruto do empenho de toda equipe nos cuidados prestados aos pacientes, os nossos profissionais trabalham com muita dedicação, dando o aporte que nossos pacientes precisam e seguindo todos os protocolos. Resultados como estes revelam que a nossa atuação tem feito à diferença na saúde da população de Itumbiara e região”, comentou.

O Projeto: “Dias Melhores Virão” foi idealizado pela Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) do Hospital de Itumbiara e os seus membros destacam que momentos como esse são os objetivos principais que o projeto visa desde sua criação.

O Hospital Regional de Itumbiara – Hcamp São Marcos conta com 40 leitos de UTI e 61 leitos de enfermaria, exclusivos para o tratamento de pacientes acometidos pelo novo Coronavírus.

Bairro de Periperi recebe Ação de Mamografia

Bairro de Periperi recebe Ação de Mamografia

Nos dias 06 e 07 de abril, o Núcleo de Promoção à Saúde do INTS realizou mais uma Ação de Mamografia, desta vez, no Conjunto Engenheiro Antônio Franco, em Valéria, Salvador. Ao todo 160 mulheres foram beneficiadas com o exame preventivo. A iniciativa tem o objetivo de levar saúde pública à população carente da capital baiana. Em virtude da pandemia, a atividade conta com a distribuição prévia de senhas para evitar aglomeração, além de adotar uma série de medidas de prevenção para garantir a segurança de todos os pacientes e profissionais envolvidos.

O uso obrigatório de máscara, aferição de temperatura, espaçamento entre as cadeiras, o uso dos equipamentos de proteção individual recomendado para os profissionais atuantes na ação, disponibilização de álcool em gel 70% e higienização frequente das mesas, cadeiras, canetas e equipamentos são algumas das atitudes tomadas.

 

Paciente curado da COVID-19 no Hugo agradece atendimento

Paciente curado da COVID-19 no Hugo agradece atendimento

SAÚDE!
João Alves, de 71 anos, ficou internado no hospital durante 21 dias e passou pela UTI e enfermaria. Após a alta, familiares enviaram para equipe do Hospital uma mensagem e fotos do idoso com cartazes de agradecimento

Gratidão é o sentimento da família de seu João Alves de Assis, de 71 anos, que ficou internado no Hospital Estadual de Urgências de Goiânia Dr. Valdemiro Cruz (Hugo) para tratamento da Covid-19. Morador do município de Piranhas, o comerciante deu entrada na unidade no dia 17 de março, e durante o período de internação, precisou ser encaminhado para Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

“Eu quero em nome de todos os meus familiares agradecer a toda equipe do hospital. O nosso muito obrigado por tudo que fizeram pelo nosso pai e por todos os pacientes que passam pela unidade, que é referência e agora em especial nessa doença que traz tanta dor e transtornos. Vocês agem não só como profissionais, pois o que vocês fazem vai além do profissionalismo. Vocês são humanos também, agem e trabalham pelo dom, pela vocação. E isso nós reconhecemos, respeitamos e valorizamos sempre”, diz a mensagem encaminhada pelo filho.

Durante a internação, o idoso fez aniversário e recebeu o carinho da equipe multiprofissional que organizou uma surpresa na UTI para celebrar mais um ano de vida do paciente. Os profissionais quebraram a rotina hospitalar e cantaram um parabéns recheado de boas vibrações, alegria e esperança.

Hospital Municipal Guarapiranga atinge 2 mil vitórias contra a covid-19

Hospital Municipal Guarapiranga atinge 2 mil vitórias contra a covid-19

 

Na manhã desta quarta-feira, 07 de abril, o Hospital Municipal de Guarapiranga, em São Paulo, registrou a alta de número dois mil de pacientes que venceram o coronavírus. A diretoria da unidade de saúde, como forma de agradecer o empenho de todos os colaboradores, distribuiu broches e promoveu uma oração coletiva na área externa do hospital. “Temos muito orgulho do nosso time, que trabalha arduamente para salvar vidas e não mede esforços para prestar o melhor atendimento”, ressalta a diretora do HMG, Simone Araújo.

 

Paciente internado há 169 dias no Hugo recebe alta

Paciente internado há 169 dias no Hugo recebe alta

Antes de deixar a unidade, Juvenilson da Costa, de 22 anos, foi homenageado pelos colaboradores do hospital que se posicionaram em um corredor e o aplaudiram

Após 169 dias internado, o trabalhador rural Juvenilson da Costa Pereira, de 22 anos, recebeu alta nesta terça-feira, 6, do Hospital de Urgências de Goiânia Dr. Valdemiro Cruz (Hugo). Ele deu entrada na unidade de saúde no dia 19 de outubro de 2020, vítima de um acidente de trânsito e no período de internação, passou pela Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e enfermaria.

Antes de deixar a unidade, Juvenilson foi homenageado pelos colaboradores do Hugo que se posicionaram em um corredor e aplaudiram o paciente. Ação foi idealizada por profissionais da equipe multiprofissional da unidade que acompanharam o paciente durante o tratamento. Emocionados, mãe e filho demonstraram gratidão à equipe. “Eu queria agradecer todo mundo que me ajudou e cuidou de mim no hospital. Obrigado por tudo”, falou Juvenilson. “Agradeço a todos que cuidaram do meu filho durante quase seis meses. Graças a Deus estou levando ele pra casa. Ele foi muito bem tratado no Hugo, que Deus abençoe todos vocês”, relatou Veronice Pereira.

Para deixar a internação menos dolorosa, a equipe multiprofissional do Hugo realizou com Juvenilson ações de humanização. “Ao longo desses 169 dias, proporcionamos o paciente 3 banhos de sol acompanhado pela mãe, além de corte de cabelo e uma assistência da nutrição com proposta de um cardápio diferenciado. O paciente teve acompanhamento social e psicológico durante o período que ficou no Hugo”, explica a coordenadora multiprofissional, Andressa Arruda.

A profissional ressalta que a felicidade em viver esse momento marcou todos os colaboradores. “Ver o paciente sair daqui bem, após esse longo trajeto de internação, é uma vitória. Gratidão por podermos ajudar milhares de pessoas, por contribuir, por partilhar, por proporcionarmos um atendimento seguro e com ênfase na humanização.”

Responsável por toda a organização logística da alta do paciente, Karita Garbin, membro do departamento de Relacionamento e Ouvidoria do Hugo, teve que movimentar toda a situação para que o paciente não soubesse de nada. “A mãe dele ficou ciente, mas conseguimos manter em segredo dele até a hora da saída. Conseguimos que todos os departamentos estivessem representados por colaboradores que se despediram. Afinal de contas, o hospital é feito por todos”, conta.

HUMANIZAÇÃO

“Eu tenho fé, e o Juvenilson também. Não tem como dizer que a gente é imparcial, porque mesmo com a tentativa, não conseguimos. Não tem como não levar os casos para a nossa casa. Eu levei o (caso do) Juvenilson para casa, assim como levo tantos outros. Eu fiz orações para que ele saísse bem, e em condições de ter uma vida normal. A gente se sente no lugar deles e, posso te garantir que, viver empatia é muito mais que só ouvir”, disse a residente em psicologia Daniele Cristina, que acompanhou todo o tratamento.

O Hospital de Urgências de Goiânia Dr. Valdemiro Cruz (Hugo) proporciona aos seus pacientes um tratamento humanizado que faz com que os usuários se sintam acolhidos, confortáveis e agradecidos. As práticas buscam dar dignidade aos cuidados realizados aos pacientes. A missão do hospital é oferecer um atendimento de excelência com acolhimento e cuidado humanizado, focado na satisfação do usuário.