Estar frente a frente com pacientes, lidar com vidas, doenças, e até a morte, desencadeia uma série de emoções nos profissionais de saúde, dentre elas ansiedade e estresse.  Nos últimos meses, esta soma de fatores tem sido com uma carga muito maior, em decorrência da pandemia de covid-19, exigindo atenção e cuidado com o ambiente hospitalar. Em Bertioga, o Hospital Municipal, gerido pelo INTS (Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde) tem encontrado maneiras de lidar com o problema.

Esta semana, a equipe de psicologia e assistência social desenvolveu um projeto utilizando a técnica mindfulness, que ajuda a treinar a atenção e colabora para a qualidade de vida. Afinal, a equipe precisa estar bem tanto fisicamente, quanto psicologicamente.

Os colaboradores aprovaram a iniciativa e dentre os depoimentos, todos disseram ter se sentido aliviado e leve. Um deles citou: “Senti todo meu corpo e no momento que comecei a respirar senti onde tinha tensão”. Outro revelou: “Tive um problema em meu pulmão há algumas semanas e com a respiração consegui sentir onde o problema apareceu”.

Dicas para meditar

A equipe do INTS destaca a importância da autorreflexão, ou seja, antes de começar a meditação pergunte-se: qual é a sua motivação? O que você deseja alcançar? Não é necessário falar em voz alta, mas concentre-se, pois o ideal não é ter uma expectativa especifica; a motivação deverá ser sempre a pratica. No momento que encerrar a meditação pense (de maneira mais ou menos consciente): “pronto, acabei. Já posso voltar à vida normal”.

A maneira mais simples para meditar é sentado em uma cadeira. Escolha uma cadeira normal para que seu assento seja plano e com postura ereta, o encosto deve ser reto e ela não deve ter braços. O ideal é não apoiar as costas, pois as mesmas se curvarão, mas manter as erguidas, sem tocar o encosto, e de maneira relaxada, sem retesar excessivamente o corpo. Mas, se achar mais confortável apoiar as costas no encosto da cadeira, sem problemas, o importante é praticar.

Apoie plenamente os pés ao chão de forma separada, se for possível. O queixo deve ficar levemente para baixo, buscando uma posição neutra do pescoço. As mãos, com as palmas relaxadas, podem ficar apoiadas sobre as coxas.

Em todas as posturas, na fase inicial recomenda-se manter os olhos fechados (sem pressionar as pálpebras) para não se distrair com a visão. Entretanto, os olhos podem ficar semiabertos com o passar do tempo ou se houver muita sonolência.