Além de colocação de dispensers com álcool em gel 70% em mais locais do que já havia, unidade hospitalar está em constante sanitização e desinfecção dos ambientes

As medidas adotadas para enfrentar a COVID-19 no Hospital Estadual de Urgências de Goiânia Dr. Valdemiro Cruz (Hugo) se intensificaram nesta semana. A unidade, que já contava com medidas rígidas para evitar a proliferação do vírus, adota desde o início desta primeira semana de março uma série de protocolos além dos já existentes.

Todas as áreas críticas e semicríticas da unidade passam mais de uma vez ao dia por desinfecção de ambiente de alto nível, com uso de quaternários de amônia de 5ª geração, conforme orientação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), através de nebulização com uso de equipamentos próprios. “O serviço acontece rotineiramente, durante os plantões, e proporciona mais segurança tanto para colaboradores, quanto para o nosso público”, afirma o coordenador de apoio operacional do Hugo, Harry Reis.

Além disso, a esterilização de leitos, postos de enfermagens e departamentos distintos é feita de forma regular, conforme o coordenador. Neste tipo de ação, são lavados com produtos químicos específicos, tanto chão, paredes, tetos, portas e móveis, para impedir qualquer existência tanto de vírus, quanto de bactérias, nestas regiões.

O distanciamento social é cobrado de todos os colaboradores e de todos os frequentadores da unidade. Cadeiras de espera, que antes eram postas na área interna da unidade, agora ficam em tendas externas, seguindo o protocolo estabelecido internacionalmente de distância superior a 2 metros.

Dentro da unidade, em frente aos consultórios, não é mais permitida qualquer possibilidade de aglomeração. Na antessala para que sejam realizados exames de imagens, o espaço para aguardar a realização, também foi alterado, para que seja impedido o acúmulo de pacientes.

Os dispensers com álcool em gel 70% também foram aumentados, e não há, em toda a unidade, algum local sem que haja a existência do produto disponível para uso regular e sistemático. Os elevadores tiveram a capacidade regulada e um dos equipamentos foi reservado para que pessoas com sintomas gripais ou confirmados com a COVID-19 possam circular.

A dispensação de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) aos colaboradores e pacientes é feita diariamente, em dois horários, para que todos os plantões tenham acesso.