Internada desde o último dia 30 de maio, no Hospital Municipal Guarapiranga (HMG), em São Paulo, a paciente Marisonha Rodrigues de Melo, de 41 anos, foi motivo de celebração para toda a equipe de profissionais da unidade de saúde. Após apresentar oscilações no seu quadro, precisou ser intubada em virtude da covid-19. Quase 90 dias depois, ela conseguiu sair de cadeira de rodas e aproveitar o ambiente externo do HMG. “É gratificante para mim, como profissional, vê-la assim falando e comemorando cada melhora. sinto aqui a importância do meu trabalho e dedicação, e realizada com cada vitória dos meus pacientes”, comemora a fisioterapeuta do HMG, Emily Menezes.

Para o psicólogo do HMG, Gabriel Rodrigues, o cenário de três meses sem olhar a rua deixar o paciente fragilizado, e observar esse contato do paciente com o ar puro e o sol é gratificante. “Os olhos dela brilhavam. Ela não se importava que ventava demais ou que não havia um resquício de sol. Ela só queria manter o olhar naquela paisagem pelo maior tempo possível. Quando percebemos que o vento tinha aumentado e seria melhor voltarmos, ela ainda rebateu: ´é só trazer aquele meu cobertor´”, relatou. “Em breve, Marisonha irá voltar para casa e pra junto da sua família. Graças a equipe multidisciplinar, ela está evoluindo gradativamente, sempre recebendo o acompanhamento necessário até a sua desinternação”, complementou a nutricionista do HMG, Ana Carolina Souza.