Aparelhos de anestesia, focos e mesas cirúrgicos estão entre os itens adquiridos para ampliar e melhorar a capacidade de procedimentos médicos realizados no hospital

O centro cirúrgico do Hospital Estadual de Urgências de Goiás Dr. Valdemiro Cruz (Hugo) passa a contar com novos equipamentos para utilização da equipe médica no tratamento dos pacientes. Na manhã desta quinta-feira, 7, a unidade de saúde recebeu parte de um total de dez aparelhos de anestesia com monitor radiotransparente, dez mesas cirúrgicas, um sistema de videolaparoscopia, dez focos cirúrgicos, dez bisturis eletrônicos, seis módulos de capnografia, 18 aspiradores de secreção, quatro eletrocardiógrafos, 12 oxímetros e dez conjuntos de corte, perfuração e entalhe (drill e craniótomo).

Na tarde de hoje, os equipamentos começaram a ser usados no centro cirúrgico. A operação de um paciente do Hugo usou um dos novos focos cirúrgicos e um aparelho de anestesia com monitor radiotransparente entregue na manhã desta quinta-feira. De acordo com a equipe de saúde que utilizava os equipamentos, o ganho em iluminação com o novo foco cirúrgico é grande. Já o modelo de anestesia é uma atualização do antigo, com melhor calibragem, explica a residente em anestesia do Hugo, Alana Vasconcelos.

O ortopedista Pedro Felipe explica que o ganho durante o procedimento operatório com uma mesa cirúrgica radiotransparente ocorre não só no tempo, mas na comodidade. “Na mesa cirúrgica antiga, nós precisávamos mover o paciente na hora de fazer uma radiografia.  E aumenta o risco de contaminação, de ocorrer um acidente, como a queda de um paciente da maca. Na mesa radiotransparente não. Ela é fundamental. Nós não precisamos movimentar o corpo da pessoa que passa pela cirurgia”, explica o médico.

De acordo com a enfermeira Luciane Brito, toda melhoria que chega ao centro cirúrgico é bem-vinda. A profissional descreve o quanto é importante renovar os equipamentos, o que facilita a atuação da equipe na hora de uma cirurgia e traz um ganho para o paciente. “Como 90% dos procedimentos cirúrgicos aqui são de ortopedia, a mesa cirúrgica radiotransparente ajuda muito”, afirma a técnica de enfermagem Lucy Rios.

Para o anestesista Paulo Roberto, o foco cirúrgico novo já representou um grande ganho na qualidade do procedimento operatório. “O foco é excelente”, define Paulo Roberto. Segundo Pedro D’Angellys, técnico em equipamentos biomédicos do centro cirúrgico, a mesa cirúrgica radiotransparente não deixa que a imagem sofra interferência. “Na mesa de chapa de metal, a radiografia apresenta uma diferença inferior de qualidade. Nas novas mesas, o processo do arco cirúrgico (produção de imagens em tempo real) é bem melhor.”

Equipamentos modernos

O diretor-geral do Hugo, Flamarion da Silva Lucas, afirma que a chegada dos equipamentos proporciona a melhoria da qualidade do serviço hospitalar oferecido pela unidade aos seus pacientes. “São itens modernos que vão melhorar muito a qualidade dos procedimentos de nossos médicos-cirurgiões, com o fornecimento de melhores condições de trabalho. Isso é fundamental para o profissional em um centro cirúrgico”, destaca Flamarion.

Para o diretor-geral do Hospital de Urgências de Goiás, renovar os itens disponíveis aos profissionais da unidade possibilita que o Hugo dê mais celeridade aos procedimentos e consiga, por exemplo, realizar mais cirurgias. “Tudo isso com maior segurança para o paciente, toda a equipe de saúde que atua na unidade e que está fazendo aquele procedimento.”

Renovação do parque tecnológico

De acordo com o diretor técnico do Hugo, André Luiz Braga, a importância da chegada de equipamentos com tecnologia mais moderna como os novos focos cirúrgicos e os aparelhos de anestesia está na busca daquilo que há de mais novo e que pode proporcionar mais segurança na hora de anestesiar e fazer uma cirurgia em um paciente.

“Nós estamos constantemente avaliando o parque tecnológico, buscando novas aquisições e implantando novas tecnologias de conformidade com a nossa necessidade e a complexidade do serviço prestado dentro da unidade”, pontua o diretor técnico do Hugo.

Do ponto de vista organizacional da unidade, Flamarion diz que os novos equipamentos darão condições de aumentar a oferta de procedimentos cirúrgicos, o que será possível de notar nos próximos meses no Hugo.

“Desde que o INTS [Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde] chegou à unidade, planejamos a melhoria das condições de trabalho dos profissionais que atuam no hospital. Buscamos atender a necessidade de modernizar o centro cirúrgico, adequar as condições de atendimento, com o devido cumprimento das resoluções de diretoria colegiada (RDCs) da Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária]. Como primeiro passo, estamos fazendo a modernização dos equipamentos”, explica Flamarion.