A variante Ômicron fez crescer em mais de 700% o número de casos de Covid, nos primeiros 20 dias de 2022, na Bahia. Estes são dados da SESAB que, diante do quadro, autorizou a abertura de mais 60 leitos no Hospital Espanhol, no último dia 22

O maior Centro de Tratamento da Covid na Bahia aberto em abril de 2020 com 160 leitos, o Hospital Espanhol, já precisou ampliar este número, em outras fases de pico da pandemia, como ocorreu em outubro de 2020, quando chegaram a um total de 250, entre UTI e enfermaria. Nesta fase, a Unidade apresentou uma das mais altas taxas de ocupação, chegando a 97%.

Setembro de 2021 foi o período de menor ocupação, mantendo uma taxa média de 15%. Mas a chegada da variante Ômicron mudou o cenário do mundo. E a onda da alta contaminação e explosão do número de casos atingiu os baianos. Esta é a 4a onda da pandemia no Brasil. “A Ômicron é muito mais transmissível do que as variantes originais que causam a Covid. É menos letal, mas tão mórbida quanto as outras” – avalia o Gerente Médico do Hospital Espanhol, Leonardo Azevedo.

O HE estava mantendo uma taxa de ocupação de 85%, do fim de dezembro/21 até o meio deste mês de janeiro. Com a abertura dos 60 leitos novos, caiu para 75%, mas ainda é um percentual considerado alto. “Se pararmos para avaliar, a gente não tem mais tanta restrição protocolar para evitar aglomerações em locais públicos. Então é preciso a conscientização da população para a manutenção dos cuidados preventivos” – alerta o Diretor Médico do HE, Rômulo Cury.