Maio é o mês da enfermagem! Neste mês, no calendário institucional, tem Dia Internacional da Enfermagem, Dia do Enfermeiro e Dia do Técnico de Enfermagem. No Hospital Espanhol, a Equipe de Enfermagem participou, no último dia 24, de uma palestra on-line, ainda como parte da programação do mês comemorativo, sobre o tema: “Registros de Enfermagem:  uma responsabilidade legal”. A facilitadora foi a Enfermeira Juliana Brandão, Coordenadora da Câmara Técnica de Atenção Primária à Saúde do COREN/Ba – Conselho Regional de Enfermagem, seção Bahia.

O link foi disponibilizado para acesso pessoal. Quem estava de folga, deve ter assistido de casa. E cerca de 60 profissionais de enfermagem que estavam de plantão, assistiram, dentro das possibilidades das demandas assistenciais. Teve colaborador que usou seu celular para acompanhar a palestra, colaboradores que assistiram nos computadores dos postos de enfermagem e até em salas de coordenação, a gente encontrou grupo atento e participativo.

Os treinamentos práticos costumam ser mais integrativos. Mas este tema teórico com uma relação direta nas rotinas diárias dos processos assistenciais e implicações legais despertou o interesse da equipe. Mesmo sendo on-line, a facilitadora Juliana Brandão estimulou a interação dos participantes, tirando dúvidas e exemplificando situações para melhores esclarecimentos.

“Os registros de enfermagem são essenciais para a qualidade da assistência. O cuidado direto é de reponsabilidade da enfermagem, então toda ação nossa para com o paciente gera uma anotação que deve conter informações completas, fidedignas e em ordem cronológica. Nós só registramos aquilo que já fizemos. Jamais anotar o que não foi feito, nem anotar pelo colega ou para o colega. Cada profissional responde por aquilo que fez, anotou e assinou com o seu número de registro do Coren – seja manual ou por assinatura eletrônica” – ressaltou Juliana Brandão em tom seguro, confiante e de alerta. A responsabilidade nos registros feitos é de senso moral, ético e profissional. Com consequências legais graves, se feitos de forma inadequada ou inverídica.

O Registro é da Enfermagem, mas atende às equipes multidisciplinares

Na Sala da Coordenação da UTC – Unidade Transitória de Cuidados, no térreo do HE, porta de entrada para todos os pacientes que chegam regulados, mais de uma dúzia de profissionais reunidos, assistiram à palestra, acompanhados pelo Coordenador da Unidade, o Enfermeiro Adson Montes. “O tema abordado, na prática, é de fundamental importância para melhoria das evoluções dos pacientes. Os registros de enfermagem feitos de forma correta evitam erros de assistência a serem acometidos por falha nas informações, durante a passagem de plantão. Um registro indevido pode gerar danos ao paciente e consequências judiciais. Estamos muito gratos com este tema proposto. Sabemos que pode ocorrer uma melhoria significante na qualidade da assistência” – destacou Adson Montes. As informações registradas são a base para a comunicação de equipes que se revezam em turnos e precisam dar continuidade a um mesmo cuidado.

Nas Enfermarias do HE, a palestra foi assistida nos Postos de Enfermagem. Laurine Medeiros é Enfermeira Assistencial da Enfermaria 5C, participou da palestra, assistindo do seu Posto de Enfermagem, no 5º andar, e comentou, ao final, com muita pertinência: “Todos os profissionais de enfermagem devem conhecer os métodos corretos de passar informações à equipe, familiares ou pacientes. Sabemos que é fundamental, no processo assistencial, registrar toda assistência prestada ao paciente, garantindo a continuidade e qualidade do tratamento, efetivando a comunicação entre a equipe e respaldando tanto o profissional quanto a instituição”. Os registros de enfermagem são individuais, feitos por cada profissional responsável, mas funciona com efeito coletivo, atendendo a toda a equipe multidisciplinar, já que ali consta todo o histórico da vida do paciente, enquanto assistido pela unidade de saúde.

A Coordenadora das Enfermarias, Rebeca Nunes, assistiu à palestra do começo ao fim. Mas pelo seu celular. Já que circulou pelos andares, não interrompendo sua rotina. “Fiquei muito feliz com o grande número de colegas, incluindo os técnicos, que participou deste treinamento, mesmo estando no plantão e sendo algo somente teórico. Parece que estamos acordando para a responsabilidade dos registros do nosso trabalho, que não é pouco. Deixar documentado tudo que realizamos é fundamental para registrar a qualidade da assistência que prestamos, em prol do paciente, das equipes e de nós mesmos. Falar de Registro de Enfermagem é falar em respeitar e dar valor ao nosso trabalho, ao nosso dia a dia profissional” – externou Rebeca Nunes, demonstrando emoção.