A gestação é um dos momentos mais sublimes para a maioria das mulheres. Receber a confirmação da gravidez pode vir cercada de alegria e comemoração, mas ao longo dos nove meses as mães passam por inúmeras mudanças no corpo e nos aspectos psicológicos. Para ajudar as mulheres nesta fase, a Maternidade Santa Terezinha, em Caucaia, Região Metropolitana de Fortaleza, oferece apoio psicológico durante o pré e pós-parto.

Uma equipe de psicólogas é treinada para acolher, fortalecer e encorajar as mães. A psicóloga Alice Oliveira explica que as mudanças hormonais, físicas e emocionais, que acontecem na gravidez, podem afetar a saúde mental das gestantes. “Com a mudança nos hormônios, há alteração de humor, a gestante fica mais sensível, chora com facilidade, fica constantemente preocupada e com medo de não dar conta da responsabilidade”, disse a psicóloga da Maternidade Santa Terezinha.

Rayza Silva é mãe do Benjamim, de 6 meses, chegou à Maternidade de Caucaia achando que estava com uma infecção urinária, mas foi surpreendida ao saber que estava em trabalho de parto. “Minha gravidez foi surpresa. Eu não sabia que estava grávida e nem muito menos que iria ganhar neném naquele momento. Uma gravidez não esperada mexe muito com o psicológico, eu fiquei sem acreditar, várias coisas passaram na minha cabeça e foi bem difícil entender o que estava acontecendo”. Foi a psicóloga Alice que acompanhou a paciente desde o primeiro momento até o pós-parto. “Ela foi um anjo na minha vida. Com as conversas, com o apoio emocional ela me ajudou a aceitar que seria mãe e foi essencial para encarar esse novo processo, que é um processo bonito de ser vivido. Eu sou muito grata por tudo. Quem dera que todas as mães tivesse essa oportunidade do acompanhamento psicológico porque é muito necessário. Hoje eu posso dizer que estou bem e muito feliz com meu bebê”, conta.

Por mês cerca de 1.200 mulheres são atendidas na unidade de saúde municipal, gerida pelo Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde – INTS. Uma equipe multidisciplinar composta por obstetras, psicólogos, nutricionistas, assistentes sociais e enfermeiros atendem as pacientes. O apoio psicológico acontece nos leitos das enfermarias. As psicólogas visitam as unidades de pré e pós-parto e avaliam o quadro de saúde mental das mulheres.

No pré-parto o acompanhamento emocional é focado para preparar a gestante. Durante a escuta psicológica o profissional identifica quais os principais medos e angústias da paciente. “Nosso objetivo é oferecer o suporte emocional necessário para que a mulher se sinta forte e capaz para dar a luz. Ter esse preparo psicológico ajuda a amenizar o medo, as angústias, reduzi o nível de ansiedade (quando muito elevado pode alterar a pressão arterial) e favorece para um trabalho de parto mais tranquilo”, conta. Na assistência, a gestante é ainda orientada sobre o direito de ter um acompanhante para assistir o parto e participar de todo o processo.

Após o nascimento do bebê o acompanhamento psicológico é voltado para orientar as mães sobre os desafios da maternidade, a importância da amamentação e de manter o autocuidado. As pacientes participam de rodas de conversa e são conscientizadas para a nova fase. “A chegada de um bebê traz também muitos desafios, a maternidade não é cercada só de flores. No acompanhamento pós-parto a gente conscientiza que os desafios e dificuldades fazem parte do processo, mas manter o autocuidado, a importância de se amar, não se deixar de lado é essencial pra manter uma boa saúde mental no puerpério. Ter também uma rede de apoio também é fundamental para diminuir a sobrecarga”, enfatiza.

Depressão pós-parto e alerta

Uma pesquisa realizada pela Fundação Fiocruz, aponta que 25% das mães de recém-nascidos no Brasil desenvolvem depressão pós-parto.  A psicóloga aponta sinais que indicam um possível problema de saúde mental. “Alteração no humor como estresse, irritabilidade, medo, angústias, choro excessivo, ausência do autocuidado e autoestima rebaixada, são sintomas que podem estar associadas a um quadro depressivo, por isso não devem ser ignorados”.

Na Maternidade Santa Terezinha o apoio psicológico é estendido para até 45 dias após o parto. As pacientes podem retornar ao atendimento e receber o suporte emocional. Caso o quadro depressivo permaneça após o período, as mães são encaminhadas para tratamento nos Centros de Atenção Psicossocial – CAPS.

Setembro Amarelo – INTS pela Vida

Setembro é o mês de conscientização da saúde mental e o Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde – INTS promove uma série de ações para colaboradores e públicos atendidos nas unidades de saúde na BA, CE e SP. Com a tag  #INTSpelavida a campanha destaca a valorização da vida.