Os colaboradores do Hospital Espanhol realizaram o “Sarau Sol de Primavera”, no pôr do sol do dia 22 de setembro, para receber a Estação das Flores, sob as árvores, na área externa, de frente para o mar.

Que o Hospital Espanhol tem uma veia musical, isto já é sabido por muita gente. Mas a ação para dar boas-vindas à Primavera foi regada a mais artes terapêuticas. Além de música, teve dança, poesia e a integração de sempre dos profissionais de saúde da unidade. Organizado pela Musicoterapia, o “Sarau Sol de Primavera” teve apoio do NEPS – Núcleo de Educação Permanente em Saúde do HE e foi aberto às apresentações voluntárias.

O Técnico de Enfermagem da UTI 2, Antenor Machado, abriu as apresentações, recitando um poema autoral sobre a primavera. E encerrou pedindo um “viva” à Estação das Flores que foi correspondido e seguido de aplausos de todos que formaram uma grande roda com mais de 60 colaboradores participantes.

Teve jogral do poema “Se” de Bráulio Bessa, recitado por um quarteto feminino da gestão administrativa do HE: Sílvia Herranz, Elane Miranda Reis, Patrícia Andrade Viana e Liz Rocha. Com um trecho do poema que dizia assim e que a leitura estará sempre atualizada para todos nós: “Se renove! Siga em frente! ‘Se’ arrisque! ‘Se’ prepare! E se cair, jamais pare! Levante e se refaça! ‘Se’ entenda! ‘Se’ reconheça!”

Intercaladas por músicas com vozes, violão, violino e passarinhos nas árvores, fazendo o backing vocal, as apresentações foram seguindo, enquanto o sol ia caindo sobre o horizonte. Quando a música de Beto Guedes que deu nome ao Sarau, “Sol de Primavera”, foi tocada pelo musicoterapeuta Marcos Barbosa, ao violão, Gabriel Alexandre Cavalcante, Técnico Administrativo do SCIH (Serviço de Controle de Infecção Hospitalar), ao violino, e cantada por todos os colaboradores que formaram a roda, a enfermeira Patrícia Fontes fez uma apresentação de dança do pano. O pano foi um avental de Kami com flores de papel coladas. Porque o improviso e a criatividade fazem parte da rotina dos profissionais de saúde. E quando vem com arte, então, vale mais ainda!

Sarau deu oportunidades inéditas para alguns colaboradores

Gabriel Alexandre toca violino há cinco anos, mas esta foi a primeira vez em que se apresentou para os colegas do Hospital Espanhol. “Eu nunca tinha me apresentado tocando violino no meu ambiente profissional. Foi uma experiência maravilhosa. Estou muito, muito grato pela oportunidade de trazer um pouco do meu lado musical para cá” – comentou o violinista e profissional de logística administrativa.

A segunda rodada de poema ficou por conta das psicólogas, Juliana Matos e Larissa Lemos que recitaram “Presságio”, do poeta português Fernando Pessoa.

Depois das apresentações artísticas, o jardineiro do HE, André Silva dos Anjos, assumiu a pá e o comando para as plantações de mudas de flores no canteiro principal do prédio Administrativo do HE. Taís Duarte, Analista de RH e Rebeca Nunes, Coordenadora das Enfermarias, foram duas colaboradoras que plantaram mudas de flores. “Foi um prazer muito grande para mim, participar desta celebração pela chegada da primavera, junto com todos vocês. É a primeira vez que faço parte de uma ação como esta, me sentindo parte do grupo. Muito obrigado!” – externou André, o jardineiro, que passa a sua rotina de trabalho diário entre canteiros e plantas.

A chegada da primavera reuniu e uniu um grupo grande de colaboradores do HE. Já era quase noite, ao término do Sarau e o recado de Bráulio Bessa seguiu reverberando nas cabeças e corações: “Se olhe meu povo. Se olhe, se valorize. E se permita errar. Se dê de presente a chance de pelo menos tentar. Se o ‘se’ for bem usado, o impossível sonhado pode se realizar!”