Edição piloto do projeto reuniu colaboradores e filhos na sede, em Salvador

A manhã desta sexta-feira (4) foi de aprendizado e diversão para os filhos dos colaboradores do Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde (INTS). Pensando em oferecer às crianças uma imersão no ambiente de trabalho, foi realizado o projeto Pequeno Aprendiz, na sede do INTS, em Salvador.

Ainda na fase piloto, o projeto consiste na apresentação detalhada dos setores e suas rotinas, com intuito de demonstrar o impacto desse trabalho na sociedade. “O Pequeno Aprendiz surgiu para eles entenderem a importância do que fazemos aqui e o funcionamento dos serviços do INTS, como a atenção à saúde, a oferta da saúde ao SUS e de como ajudamos nesse processo, além das ações que realizamos nas comunidades carentes”, destaca o diretor geral do INTS, Alan Kertzman.

Para Alan, que levou o filho Dante, a ocasião também permite que as crianças conheçam um pouco mais do ambiente corporativo, sendo uma oportunidade para orientar suas decisões profissionais no futuro.

Vanessa Matos é mãe do pequeno Caio, que tem apenas 1 ano e um mês de vida e já estava aproveitando as atividades recreativas oferecidas. A colaboradora atua como Analista de Recursos Humanos no INTS e comemora a concretização do projeto: “é a primeira edição do Pequeno Aprendiz e, como parte do RH, trabalhei junto na idealização. Foi muito gratificante todo o processo. Poder trazer o meu pequeno é uma satisfação imensa”.

O Pequeno Aprendiz surgiu a partir de uma pesquisa de clima dentro da empresa, sendo um desejo em comum dos pais que ali trabalham, como destaca Neyla Carvalho, gerente de Recursos Humanos do INTS.

“Os colaboradores queriam muito que seus filhos conhecessem o trabalho realizado aqui na empresa, então, nós do RH, montamos esse projeto para que as crianças pudessem entender o que seus pais fazem. Tem sido uma experiência maravilhosa, também pude vivê-la como mãe e ver minha filha passando por isso. Eu tenho certeza que, para ela, também foi um dia marcante”, comemora Neyla.

Segundo Alan Kertzman, a expectativa é avaliar a execução desse projeto inicial para replicar as atividades, de maneira segura, em outros escritórios ou unidades hospitalares em todo o Brasil.