A Ação Janeiro Branco do IRSI (Instituto de Responsabilidade Social INTS) foi realizada no dia 26 de janeiro, conduzida pela psicóloga voluntária do IRSI Josiele Oliveira, no CAPS Professor Adilson Peixoto Sampaio, localizado na Rua do Céu, durante a tarde.

A ação foi iniciada instruindo os participantes sobre o janeiro Branco e a prática da saúde mental no cotidiano e a sua importância da mesma, através de imagens de alguns contextos sociais, como: escola, Trabalho, família, igreja, entre outros não expostos nas imagens. Foi abordado sobre a importância da socialização para a saúde mental, com alguns voluntários para falar das suas emoções diante dos contextos sociais que frequentam no cotidiano. Após o primeiro momento, foi solicitado que os participantes, realizassem pinturas em uma folha de papel ofício em branco, e apresentação de suas artes para possibilitar uma escuta das emoções, fantasia, história de vida e vivências. Na finalização do evento foi solicitado a indicação de uma música para ser cantada, com um dos integrantes se voluntariando para tocar o violão, que foi acompanhado pelo canto dos outros presentes, com três músicas cantadas. Ao final foram entregues lanches e lembranças, com agradecimentos pela presença.

O objetivo das atividades realizadas de forma lúdica foi proporcionar um efeito terapêutico, e possibilitar a expressão das  emoções e sentimentos através das imagens, pinturas e músicas, para que os participantes percebam que eles são capazes de realizar o autocuidado com a saúde mental, e produzir algo para o bem-estar individual e coletivo, para que os mesmos sintam-se inseridos através da arte no contexto social.

Josiele Oliveira, psicóloga participante, comentou sobre a ação, relatando que “sinto-me honrada em ser integrante do IRSI, em proporcionar para a sociedade a conscientização da saúde mental, o conhecimento e um momento diversificado, de escutar, lazer, e aprendizado, que pode ser marcado de forma significativa na vida cada pessoa. Sentir-me acolhida pelos profissionais, do CAPS e pelos usuários que de início demonstraram uma dificuldade em interagir, mas logo no decorrer das oficinas, foi realizado o vínculo de forma individual, com escuta e acolhimento, onde todos sentiram-se dispostos a participarem. Agradeço imensamente pelo momento enriquecedor e único, e pela oportunidade em realizar essa ação.”