O contato pele a pele entre a mãe e o bebê, nos primeiros minutos de vida é o momento conhecido como “hora de ouro”. O vínculo afetivo faz parte do protocolo de parto humanizado realizado pela Maternidade Santa Terezinha, unidade de saúde da Prefeitura de Caucaia, gerida pelo Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde (INTS). A maternidade oferece assistência humanizada com apoio físico e emocional para as parturientes e conta com o novo o Centro de Assistência à Gestante que ampliou o atendimento para as futuras mamães.

Mãe de primeira viagem, Adrielly Ferreira, (19), chegou à maternidade cheia de medos e inseguranças. Durante o trabalho de parto, foi acompanhada por uma equipe multidisciplinar que ofereceu apoio emocional e orientações. A jovem deu à luz por parto natural e humanizado. “Eu pensei que eu não ia conseguir ter normal, eu estava morrendo de medo, mas as enfermeiras me ajudaram muito, conversaram, me passaram tranquilidade, segurança e em menos de duas horas de trabalho de parto, eu já estava com a minha neném nos braços e pude amamentá-la”, disse a estudante. A neonatologista, Janaína Machado, explica que o contato entre mãe e bebê logo após o nascimento é importante para fortalecer o vínculo. “Aquele momento que o bebê sai do útero e vai para o colo da mãe, proporciona aconchego, segurança, ele sente o cheiro da mãe e isso acalma o bebê”, disse.

Antes da chamada hora de ouro, o trabalho de parto humanizado prepara a gestante para o momento de dar à luz. São utilizadas técnicas que proporcionam conforto, segurança e bem-estar. As gestantes atendidas pela Maternidade Santa Terezinha recebem massagem terapêutica com óleos aromáticos e relaxantes, musicoterapia técnicas de pilates com utilização da bola suíça, cavalinho (cadeira apropriada para estimular o parto normal), caminhada pelo jardim, orientações sobre posturas ideais para alívio das dores e ganham arte gestacional com a imagem da placenta. De acordo com a enfermeira obstetra, Arliane Gomes, no parto humanizado é levando em consideração o protagonismo da mulher, seus desejos, respeitando suas escolhas, medos e oferecendo uma rede de apoio emocional e física. “A humanização no parto traz benefícios que ajudam na dilatação do colo, redução da dor e dos níveis de estresse e ansiedade, além de apresentar efeitos positivos também no tempo de trabalho de parto, que muitas vezes se torna mais ágil e menos doloroso”, explica a especialista.

A dona de casa, Suliane Viana, (30) espera o segundo filho e vai realizar o parto cesárea. Antes da cirurgia, a gestante também foi atendida com as condutas para parto humanizado. Ela conta que o acolhimento e suporte emocional da equipe fizeram diferença no atendimento. “A gente chega aqui no nervoso, né? Com os sentimentos à flor da pele e hoje eu me senti muito segura, percebo como o atendimento tá bem melhor. O atendimento dos médicos e enfermeiros foi muito bom e diferente de antigamente, porque há cinco anos eu precisei ser acompanhada aqui pela maternidade, mas hoje eu achei tudo muito melhor. Esse acolhimento faz diferença porque ajuda a passar o nosso nervosismo”, relata.

Tanto no parto normal como na cesariana é possível oferecer as técnicas para parto humanizado. “Toda gestante tem direito a uma assistência humanizada e segura, sendo ela parto normal ou cesárea , alguns métodos mudam conforme o parto, mas a humanização tem que está presente em todas as etapas”, finaliza a enfermeira obstetra, Arliane Gomes.

Mais assistência e conforto

Para proporcionar mais conforto e ampliar a capacidade de atendimento das gestantes, a maternidade agora conta com o Centro de Assistência à Gestante. O espaço foi reformado recentemente e oferece três salas para parto natural, sala de medicação, observação, espaço pré-cirúrgico e sala para cuidados imediatos do recém-nascido. A equipe multidisciplinar é composta por obstetras, neonatologistas, enfermeiros, técnicos de enfermagem, assistentes sociais, psicólogos e nutricionistas.