No último dia 22 de abril, o Hospital Espanhol completou três anos de funcionamento como o Centro de Tratamento para Covid, referência na Bahia. Na tarde do dia 24, os colaboradores e gestores reuniram-se no refeitório da Unidade para celebrar a data que simbolizou o período de 1.095 dias de luta ininterrupta contra o inimigo invisível, o vírus considerado como o mal do século.

“Nossos laços são construídos e fortalecidos por nossas convicções, empatia, competências, generosidade, dedicação e comprometimento. E é por isso que hoje, não é apenas uma data emblemática ou corporativa. Hoje é dia de celebrar e agradecer a todos que fizeram, fazem e continuarão fazendo com que o Time INTS no Hospital Espanhol ultrapasse as barreiras de mais uma unidade hospitalar, e siga sendo fruto das nossas melhores entregas diárias!” – com estas palavras de gratidão e motivação, como parte da sua fala, a Diretora-Geral do HE, a enfermeira Priscila Souza, deu início ao momento da comemoração. Falou para um refeitório cheio com cerca de 80 colaboradores que representaram os 300 que hoje atuam na Unidade. Numa Unidade que já teve o triplo de colaboradores para atender o triplo de leitos que hoje tem.

Falaram ainda os gestores presentes, José Jorge Urpia Lima – Presidente do INTS; o infectologista Roberto Badaró – Diretor Médico; o médico Leonardo Azevedo – Gerente Médico; a enfermeira Elane Reis – Gerente Administrativo-Financeira e Patrícia Viana da área de Gestão de Pessoas do INTS.

“Vocês merecem parabéns! Vocês também são a alma do INTS. A alma que somos para cuidar da saúde das pessoas, dos nossos clientes. E aqui, cuidando de pessoas contaminadas pela Covid, vocês trabalham com a alma para curar corpos e salvar vidas, numa forma exemplar” – assim o Presidente do INTS, José Jorge Urpia parabenizou os colaboradores, puxando uma salva de palmas para todos.

Dr Roberto Badaró fez questão de frisar a família que os profissionais do Hospital Espanhol se transformaram. “Aqui eu vi pessoas que abdicaram de suas próprias famílias e vidas pessoais para salvar vidas de desconhecidos. Pessoas que priorizaram as suas missões profissionais. Houve quem desistiu. Mas a maioria persistiu. E aqui temos colegas que estão conosco, desde o primeiro dia em que recebemos os primeiros pacientes. Aqui eu vejo uma família!”

Este clima de família é notório e fortalecedor no ambiente do HE. Um clima profissional e familiar que faz com que os momentos mais cansativos e estressantes sejam superados com muito trabalho para que milhares de vidas tenham sido salvas da Covid, nestes três anos. Com uma média móvel de 45% de ocupação e 80 leitos, o Hospital segue em funcionamento ativo.

Família de anjos

Um texto feito pela ex-paciente do HE, a economista Roqueline Uzeda, 54 anos, sobrevivente da Covid e curada sem sequelas graves, foi lido pela colaboradora Patrícia Viana, emocionando a todos e trazendo lembranças dos momentos mais duros da pandemia. Roqueline esteve internada por 21 dias, entre UTI e Enfermaria, em março de 2021. Depois de 11 dias de entubada, foi extubada com musicoterapia e citou partes deste momento, do que se recordou, no seu texto. “Eu queria desistir de viver. Mas a família que cuidou de mim no Hospital Espanhol e a minha família que me esperava lá fora, não me deixaram desistir. Os profissionais do Espanhol são meus anjos! Serão para sempre os anjos que me salvaram!”

A música tornou-se uma característica peculiar do HE. E sempre está presente nos momentos de tristezas e de alegrias. Sim, a montanha russa de emoções é diária na rotina de luta do HE. Marcos Barbosa, musicoterapeuta, atua no Hospital desde o primeiro mês do seu funcionamento, e faz questão de registrar a gratidão pela oportunidade de crescimento com este trabalho. “Cada um de nós que aqui está foi escolhido para esta missão. Sofremos, choramos, vibramos, sorrimos. Oramos e sempre cantamos. Evoluímos como pessoas e como profissionais. Juntos formamos um time que salva vidas. E mesmo aquelas que, infelizmente, não conseguimos salvar, temos a convicção de que fizemos a nossa parte, dando o nosso melhor.”

A Coordenadora de Fisioterapia do HE também está no time desde o início e comentou: “Diante de tantos desafios nestes três anos, medos, angústias… agradeço por poder liderar a equipe de Fisioterapeutas. Agradeço a cada um que por aqui passou e contribuiu para a recuperação de tantos pacientes com dedicação e amor. E agradeço, especialmente, àqueles que há três anos estão aqui fazendo a diferença!”

Gratidão e união são as palavras que descrevem a celebração dos três anos do Hospital Espanhol – Centro de Tratamento Covid. Com gratidão, união e a tradição musical de sempre, o grupo homogêneo de atuação e heterogêneo de cargos – reunindo o Presidente do INTS, gestores do HE, profissionais da assistência, limpeza, segurança, nutrição e administrativo -confraternizou, cantou, lanchou e agradeceu com trocas de abraços e apertos de mãos tão desejados e proibidos por tanto tempo. Parabéns, Hospital Espanhol! Você é um verdadeiro guerreiro e sobrevivente da Covid.