Assistente social e enfermeira obstétrica levam informações às gestantes do projeto “Bebê Luz”

22 de abril de 2024

Confira também as nossas redes sociais:

Mais um encontro de difusão de informações, esclarecimento de dúvidas e troca de experiências entre profissionais que atuam na Maternidade Municipal Lourdes Nogueira (MMLN) e as gestantes atendidas pelo projeto “Bebê Luz”, no bairro 17 de Março e adjacências. Desta vez, assistente social referência técnica da unidade, Glícia Morais, e a enfermeira obstétrica Amanda Camilo participaram da roda de conversa promovida nas instalações do CRAS Diná Menezes.

“Nossa abordagem visa desmistificar as dúvidas sobre a dor no parto e todo o ciclo de abordagem que elas passarão se optarem por dar à luz na nossa maternidade. Como elas já conheceram a unidade e toda a estrutura oferecida, estamos trazendo informações complementares para que estejam cientes de todo o fluxo de atendimento”, destaca a enfermeira.

Já a assistente social trouxe uma abordagem pautada nos tópicos mais comuns detectados nos atendimentos, a exemplo de dúvidas sobre os acompanhantes, as refeições, o ciclo de visitação e os serviços oferecidos na unidade. “Nós promovemos uma abordagem didática falando de todo o ciclo de atendimento, a documentação recomendada dos pais e tiramos todas as dúvidas quanto às visitas e o que é oferecido na unidade. Explicamos a importância delas levarem toda a documentação, exames e indicações do pré-natal, para que todo o fluxo seja otimizado e elas já saiam com a certidão de nascimento do bebê quando receberam a alta médica”, aponta a assistente social.

Para a gestante Rosângela Monique Lima, moradora do bairro Santa Maria, e que já está com 38 semanas de gravidez, este foi um momento muito importante para sanar dúvidas. “Eu tinha dúvidas de quem poderia levar como acompanhante e se minha filha de seis anos poderia me visitar. Elas esclareceram tudo, recomendaram que eu escolhesse uma pessoa adequada para me dar força durante e após o parto, e me explicaram que, no caso de menores de 12 anos, é necessário que a Psicologia avalie a criança para a visita. Eu fiquei muito satisfeita com essa conversa aqui. Que me ajudou muito”, revela.

Hospital Guarapiranga apresenta quatro trabalhos no COSEMS 2024

Hospital Guarapiranga apresenta quatro trabalhos no COSEMS 2024

Unidade municipal de saúde conta com quatro projetos na 20ª Mostra de Experiências Exitosas dos Municípios O Hospital Municipal Guarapiranga, unidade da Secretaria Municipal de Saúde, gerenciada pelo Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde (INTS), apresenta, entre os...

ler mais